terça-feira, fevereiro 22, 2005

Cícero - o grão-de-bico

Cícero nasceu em Arpino no ano de 106 a.C. Ele descende de uma família humilde mas de boa reputação.

O seu nome tem uma origem pitoresca: em latim cicer, eris (n) significa grão-de-bico. Este nome foi dado a um dos seus antepassados devido ao seu nariz ter uma saliência que se assemelhava a um grão.
Ao tornar-se um homem público respeitável, os seus amigos aconselharam-lhe que mudasse de nome pois seria constantemente gozado. Cícero respondeu-lhes deste modo:” Farei tudo para tornar o nome de Cícero mais célebre que o de Escauro e de Catulo”. Na verdade, estes nomes em latim também dão lugar a algum gozo: catulus, i- cachorrinho e scaurus, a , um- que tem os calcanhares demasiado salientes; pé-torto.

De facto, Cícero conseguiu tornar o seu nome bastante célebre tornando-se num famoso escritor, político e orador latino.

Quando se tornou magistrado em Sicília, Cícero mandou gravar num vaso de prata que iria oferecer aos deuses, com os seus dois primeiros nomes, Marcus Tullius, e no lugar do terceiro mandou gravar a imagem de um grão-de-bico.

Cícero escreveu várias obras retóricas: Orator, Brutus; filosóficas: De Republica, De Legibus, De Officilis, De Amicitia, etc. Deixou também um vasto Epistolário.

Cícero foi assassinado por Herênio e Popílio em 43 a. C. Contudo, diz-se que ele morreu de cabeça erguida pronunciando as seguintes palavras: Moriar in patria saepe servata (“Que eu morra na pátria que tantas vezes salvei”)


Bibliografia

http://virtualbooks.terra.com.br/freebook/colecaoridendo/biografias/Cicero.htm