terça-feira, maio 17, 2005

E-latim romanos apaixonados pela comida



Matérias-primas
A revolução culinária baseou-se na incorporação de muitos vegtetais que eram desconhecidos ou considerados incomestíveis. Por exemplo os nabos, as coves, os rabános. A galinha foi a primeira das aves a ser comida. Havia azeitonas, ameixas, cerejas. As figueiras eram originárias de Itália e o limoeiro chegou das Hespérides. Faziam três comidas diárias: o pequeno-almoço, o almoço e o jantar. O povo romano tomava o pullnentum "é uma papa de farinha de trigo e água, que deluída servia de refresco". Os romanos conheciam o fermento "fermentum". O pão deles era feito com ou sem fermento.

Utensílios
O espeto era uma cruz de ferro introduzida na terra na qual assavam carnes. Na época de Constantino, o imperador, os convidados começaram a comer sentados e não estendidos como na época romana.

Desenvolvimento técnico
Os romanos utilizavam os assados, organizavam grandes banquetes de esbanjamento pela classe priveligiada. Eram amantes do prazer do comer, comiam tanto que a metade deles deviam retirar-se ao vomitorium onde excitavam a garganta com penas para devolver a comida, assim aliviavam a barriga e podiam continuar a comer mais. Podemos destacar dois grandes cozinheiros romanos: Lúculo e Apicio. Diz-se que Lúculo gastava fortunas à busca de comidas extravagantes, assim alcançou uma grande celibridade com a frase "Lúculo hoje come em casa de Lúculo". O que dava a entender que faltava pessoas para comer bem. Apicio, por seu lado, foi autor do famoso receitário da cozinha, o mais antigo que se conserva.
Posted by Hello

Liliane Goncalves Nunes e Sandra Durand